Eunápolis: por que Cordélia cresce apesar da rádio 98 tá fechada?

Assim como o apoio da rádio Ativa FM não evitou a vergonhosa e humilhante votação de Larissa Oliveira, filha do prefeito Robério, para deputada em 2018, a influência da rádio 98 FM no crescimento da popularidade da (agora, de novo) pré-candidata a prefeita Cordélia Torres (Foto do Instagram) hoje é zero, uma vez que a rádio está fechada há cerca de 5 meses.

Portanto, a popularidade de Cordélia em Eunápolis é um fenômeno eleitoral a ser estudado. Quem pensava que sem a rádio 98 ela perderia pontos quebrou a cara. Está provado que uma coisa não depende da outra. 

A prova de que rádio não influencia mais assim na eleição é que nenhum radialista, depois de Jota Batista (eleito vice-prefeito em 2004 e vereador 2 vezes depois disso), conseguiu se eleger para cargo público nenhum, até hoje, seja do lado do prefeito ou da oposição.

Na verdade, quem perdeu mesmo foi a população que não tem mais o microfone da 98 para reclamar do que anda errado na cidade, principalmente na saúde pública.

A estratégia de governistas e da 3ª via de dizer que a rádio está fazendo e fará falta a Cordélia não é inteligente. A 98 não faz falta à candidatura, nem fará, embora exista ainda a possibilidade de retorno ao ar. Será apenas um reforço importante mas não decisor.

Por enquanto, o nome de Cordélia é citado ao menos 5 vezes, em média, por cada grupo de 10 eleitores com intenção de votos definida. Sobram 5 votos para dividir entre Robério, Ramos, Neto Carletto, além de laranjas e indecisos. 

Rádio desligado

A campanha 2020 vai ser decidida nas ruas, com influência das redes sociais por causa da febre do Whats App. 

Por Geraldinho Alves, jornalista e editor do Bahia40graus