Menu
Banner Prefeitura TOPO
19 de Julho de 2018

José Ronaldo começa bem no extremo sul e fala em criar sub-governadoria na região

Com a presença de quase mil lideranças políticas da maioria das cidades do extremo sul baiano, incluindo Eunápolis e Itabela (Costa do Descobrimento), o pré-candidato a governador José Ronaldo (DEM) começou bem sua caminhada na região participando do Encontro de Lideranças, na noite de quinta-feira, 5 de julho, em Teixeira de Freitas. Estavam lá o prefeito de Salvador, ACM Neto; o vice Bruno Reis; o pré-candidato a senador Jutahy Júnior, prefeitos, ex-prefeitos, vereadores e pré-candidatos a deputado. Também vieram os deputados Adolfo Viana, Sandro Regis, Sidelvan Nóbrega, Alan Castro e Aleluia.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, multidão, campo de beisebol, casamento e área internaA imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas sentadas e área interna

 

Sub-governadorias

Com seu com seu jeito simples, autêntico e descontraído,

José Ronaldo falou pouco, mas deu seu recado, justificando por que decidiu ser candidato, ressaltando que sua carreira política tem ficha limpa; criticando duramente o governo petista (principalmente nas mazelas da saúde e segurança pública) e trazendo uma proposta inédita na política estadual de descentralizar o poder, criando sub-governadorias nas regiões extremo sul e oeste, mais distantes geograficamente de Salvador, ambas com grande potencial econômico.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, multidão e sapatos

 Municípios esquecidos - “O governo do PT esqueceu que o estado tem 417 municípios e resolveu concentrar esforços para rivalizar com o melhor prefeito de capitais do Brasil, ACM Neto, em Salvador. Já visitamos mais de 70 municípios e em todos os lugares a maior reclamação é a falta de sensibilidade do atual governo com as coisas locais. Assinam ordens de serviço que nunca saem do papel e prometem coisas que nunca vão realizar” disse o pré-candidato a governador.

“Aqui se investe mais em propaganda do que em quem segurança. O resultado está aí”, criticou José Ronaldo, citando gastos milionários do governo estadual com publicidade, acima de R$ 200 milhões.

A imagem pode conter: 6 pessoas, incluindo Jorge Maécio e Valdiran Marques, pessoas sorrindo, barba e área interna

Eunápolis

O município de Eunápolis foi representado por três grupos políticos de oposição ao governo petista, sendo dois ex-prefeitos, Neto Guerrieri e Paulo Dapé; o atual vice Flávio Baiôco; o ex-secretário Valdiran Marques e os pré-candidatos Pedro Vailant e Cordélia, esses dois últimos participaram da mesa do encontro.

 A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e pessoas em pé

Corrente do bem

Para o ex-prefeito Neto Guerrieri, que junto com seu grupo ‘Corrente do bem’ também apoia o deputado Adolfo Viana para federal, “O encontro serviu para aproximar ainda mais as lideranças da região com os pré-candidatos da majoritária, principalmente José Ronaldo e Jutahy Júnior. Nosso grupo apoia a proposta das sub-governadorias, dando mais autonomia e peso político ao extremo sul. Estamos apoiando Adolfo Viana para federal, que também defende essa bandeira”, comentou o ex-prefeito de Eunápolis.

 

Região - Destacam-se ainda a participação dos prefeitos de Lajedão, Betão; Itamaraju, Dr. Marcelo; Nova Viçosa, Manoelzinho da Madeira, além de representante da prefeita de Medeiros Neto, Dra. Jardina. Itabela foi representada pelo ex-prefeito Júnior Dapé e mais 7 vereadores, inclusive o presidente da Câmara Alex da Pax.


A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e noiteA imagem pode conter: uma ou mais pessoasA imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé e noiteA imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, pessoas sentadas e área interna

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

 

Leia mais ...

APLB ameaça nova greve em Itabela para dia 4 pensando no dinheiro dos precatórios e não nos alunos

A educação e o aprendizado dos alunos estão ficando em segundo plano com a teimosia da APLB em pressionar o prefeito de Itabela, Luciano Francisquetto (PRB), a cometer ato de improbidade caso decida pagar aos professores o abono reivindicado pela entidade, referente aos precatórios do Fundef. A bolada milionária parece que está cegando os dirigentes classistas e também os professores, que continuam alimentando a falsa esperança. Alguns vereadores ficam surfando na onda que eles sabem que vai quebrar bem antes de chegar à areia da praia e botam pilha no movimento.

 

Jurídico - Lógico que qualquer político sensato - o prefeito de Itabela parece ser dessa safra - gostaria de pagar o abono à categoria que tem importância destacada na formação da juventude itabelense, mas a Constituição proíbe o prefeito de atender o pleito, segundo entendimento jurídico do Ministério Público Federal e TCU (Tribunal de Contas da União), órgãos fiscalizadores do uso da verba federal. Esse é o mesmo entendimento da assessoria jurídica do gestor. Qualquer lei municipal não tem efeito sobre o caso e nenhum ‘acordo’ forjado nos bastidores terá êxito por falta de base legal.

 

Greve sem justificativa - Mas, teimosamente, a APLB está anunciando outra greve, agora por tempo indeterminado, a partir do próximo dia 4 de julho, em toda a rede de ensino local, apresentando ainda um pacote de reivindicações como cortina de fumaça para esconder o pano de fundo que é a exigência do pagamento dos precatórios. Os demais pontos da greve são plausíveis, mas não justificam de maneira nenhuma uma paralisação no meio do ano letivo. Lembrando que na última manifestação, à véspera do aniversário da cidade, o movimento usou crianças e adolescentes como massa de manobra.

 

Responsabilidade - Mais uma vez os alunos serão prejudicados, pois a greve compromete o ano letivo de forma irreversível. Terão de estudar nos fins de semana atrapalhando a rotina das famílias. Os professores precisam confiar mais na Justiça e agir com responsabilidade diante do ofício que escolheram para seguir na vida. A batalha pelos precatórios do Fundef pode ser justa, mas será longa e deve ser travada pela APLB nos Tribunais de Justiça e no Congresso Nacional, não nas ruas, porque a pressão não vai surtir efeito. Não é uma questão que o prefeito pode decidir sozinho, mas somente a Justiça. Está tão difícil de entender?

 

O Bahia40graus continua com espaço aberto à APLB para que se manifeste em relação ao tema do nosso editorial.

 

     

Leia mais ...
  • Jornalista Responsável: Carlos Geraldo Alves MTE/BA 4162 - Fundação: Novembro de 2012
  • E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.  
  • Tel/Whatsapp: (73) 99814-6777