Óbito relâmpago em Eunápolis foi confirmado como Covid-19

A Prefeitura informou, na quinta-feira (15/5), que a cidade tem 48 confirmados e mais 17 pacientes foram liberados do isolamento domiciliar após recuperação. 

O Lacen – único laboratório do estado responsável pelos exames oficiais da pandemia do novo coronavírus – confirmou que a causa do óbito do taxista de 45 anos, na terça  (12), foi mesmo Covid-19. O caso chama a atenção pela rapidez do óbito, da hora em que o paciente deu entrada no hospital regional, na noite de segunda, e a hora do óbito, manhã de terça. Foi um caso fatal relâmpago. Mesmo considerando que o paciente teria problemas cardíacos, o hospital deveria ter estrutura mínima para prolongar a vida dele. Houve ainda a procura por parte do regional, segundo a prefeitura, de outra UTI na região por meio da Regulação estadual do SUS, o que precisa de explicação por parte da direção clínica da unidade de saúde.

Não há transparência na gestão de saúde m Eunápolis, nem fiscalização confiável

Eunápolis tem agora 48 pacientes confirmados com a doença, sendo 32 já recuperados, 14 em isolamento domiciliar, 01 internamento e 01 óbito, segundo a prefeitura.

Sem repostas:

Bahia40graus pediu a prefeitura, na terça, a relação dos médicos intensivistas que dão plantão na UTI do hospital regional, a escola dos plantões, o registro profissional dos médicos e também enfermeiros (as) que atuam na UTI. Até o momento não houve retorno.

Não custa lembrar das orientações preventivas que devem ser seguidas pela população:

1 – Evitar aglomerações;

2 – Usar máscaras sempre ao sair ou usar espaços coletivos;

3 – Manter o distanciamento necessário de uma pessoa para outra – 1 metro e meio no mínimo;

4 – Manter constante a higiene das mãos com água e sabão, além de álcool gel, sempre que tocar em superfícies fora de casa;

5 – Ficar em casa se puder e só sair apenas para fazer o absolutamente necessário (sempre usando máscara).