Justiça manda militantes bolsonaristas para penitenciária de São Paulo. Confira os crimes cometidos

Spread the love

Presos em flagrante, Jurandir Alencar e Antonio Bronzieri estão indiciados pela Polícia Civil paulistana por crimes de desobediência, infração de medida sanitária e incitação ao crime. No dia 12 de maio os 2 também se tornaram réus na Justiça paulista pelos delitos de ameaça, difamação, injúria e perturbação do sossego mediante denúncia apresentada pelo Ministério Público estadual local.

Jurandir Alencar e Antonio Bronzieri foram presos em flagrante e já estavam indiciados

Os 2 manifestantes bolsonaristas que participaram de um protesto em frente ao prédio onde reside o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, em São Paulo, foram presos preventivamente no sábado, 16 de maio. 

ASSISTA A MANIFESTAÇÃO EM FRENTE À RESIDÊNCIA DO MINISTRO ALEXANDRE DE MORAES

Comentário do jornalista Joaquim e Carvalho no YouTube/DCM

A decisão foi tomada pela juíza plantonista Ana Carolina Mascarenha sob o argumento de “garantir a ordem pública”.

O mandado de prisão expedido contra Jurandir Alencar e Antonio Bronzieri diz que eles desrespeitaram o benefício de liberdade provisória ao qual eles haviam sido submetidos. Os 2 bolsonaristas já haviam sido presos em flagrante no último dia 2 de maio, quando fizeram o ato contra o ministro do Supremo.

Eles são investigados em inquérito da Polícia Civil por crimes de desobediência, infração de medida sanitária e incitação ao crime. A prisão teria sido efetuada após “investigação criteriosa, campana e infiltração de agentes em acampamento do movimento por eles liderado”, situado na frente da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), conforme ofício do delegado Fernando Cesar de Souza.

error: