Maior estudo médico sobre cloroquina mostra que medicamento não é eficaz contra Covid-19

O presidente Jair Bolsonaro insiste no uso da cloroquina no tratamento de pacientes com Covid-19. Preço da matéria-prima para fabricação do remédio disparou e já está 6 vezes mais caro no país.

Resultado

Nos Estados Unidos foi divulgado o maior estudo já feito sobre o uso da substância. A pesquisa foi publicada no Journal of the American Medical Association, mostrando que a cloroquina não é capaz de evitar óbitos pela Covid-19 e ainda pode causar problemas no coração.

O estudo foi realizado com pacientes hospitalizados do estado de Nova York e é o maior até hoje feito com o uso do medicamento. 

Ao todo, 1.438 pacientes de 25 hospitais foram avaliados pelos pesquisadores.

Os pacientes foram divididos em quatro grupos: o primeiro foi tratado apenas com hidroxicloroquina; o segundo, só com azitromicina; o terceiro, com ambos os medicamentos; o último, com nenhum dos dois.

“Entre os pacientes hospitalizados com Covid-19, o tratamento com hidroxicloroquina, azitromicina ou os dois não foi associado à diminuição significativa da mortalidade”, concluíram os pesquisadores.

Ainda de acordo com os pesquisadores, os pacientes que tomaram a combinação da hidroxicloroquina com a azitromicina tiveram duas vezes mais chances de sofrer parada cardíaca do que as pessoas que não receberam nenhum medicamento.

Fonte: OAntagonista/Jornal da Record e outros veículos de imprensa