A herança maldita em Eunápolis

Spread the love

Por Geraldinho Alves, jornalista e editor do Bahia40graus

Há a quase uma certeza unânime no meio político em Eunápolis de que o atual prefeito Robério Oliveira (PSD) vai passar o governo à sua rival e sucessora Cordélia Torres (DEM) com diversas ‘cascas de banana’ e entraves, visando dificultar o início do mandato da nova gestora: 

1 – Não se fala apenas do risco da tradicional ‘herança maldita’ administrativa, com setores sucateados, obras inacabadas, restos a pagar e confissões de dívidas que precisam de revisão e auditoria isentas;

2 – O patrimônio público também precisa ser auditado com rigor, tendo na comissão, inclusive, membros do TCM e do Ministério Público;

3 – Cordélia pode receber uma prefeitura desorganizada e sem planejamento, incluindo ausência de dados essenciais;

3 – São esperadas ainda por parte da atual gestão medidas administrativas tomadas no apagar das luzes com objetivo claro de prejudicar o futuro governo.

4 – E os pagamentos de dezembro devem ser expostos imediatamente para evitar irregularidades muito comuns de fim de governos municipais, ainda mais com técnicos habilidosos na arte fazendo parte da atual gestão.

Transição

O processo de transição de governo passa a ter a maior importância neste momento para obtenção de dados oficiais confiáveis por parte da prefeita eleita e sua equipe. 

Caixa preta

As revelações da caixa preta do governo atual, certamente, são aguardadas com muita expectativa pela população. A falta de transparência do governo Robério é uma prática que deve acabar. Ao menos, assim se espera.

error: