Presidente nacional do PSL acusado de comprar notas fiscais frias

Caso teria deixado o presidente Jair Bolsonaro irritado, como se ele desconhecesse a prática.

Mais um escândalo envolve o PSL. O presidente nacional da legenda, deputado federal Luciano Bivar (PSL-PE), teria comprado Notas Fiscais de uma empresa de uma assessora de imprensa para justificar gastos com a atividade parlamentar.

A denúncia é da Folha de São paulo, mas ganhou rapidamente as manchetes da imprensa em geral.

Bivar afirmou que sua funcionária Marta Lemos “caiu em uma cilada”, acredite. Ele disse que vai demitir a assessora. “Ela mostrou o caráter frágil dela de vender notas. Mas num país como o nosso, qualquer pessoa que oferece R$ 30 mil, dizendo que vai ganhar um percentual, vai cair numa cilada”. Mas Notas fiscais de outra empresa também teriam sido usadas, segundo o jornal.

Bivar é investigado por causa de denúncias de candidaturas laranjas do PSL. Segundo informações confirmadas pela TV Globo, a Câmara dos Deputados repassou R$ 50 mil à ML Serviços, pertencente à Marta Lemos. A prestação de contas do deputado teria sido apresentada à Câmara dos Deputados ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de acordo com o jornal Folha de São Paulo. As notas teriam sido fornecidas a Bivar entre 2017 e abril de 2019, mas sem prestar o serviço descrito no histórico.