Laudo afirma que delegado morto após levar tiro de PM em Itabuna estava sob efeito de álcool e cocaína

A Polícia Técnica concluiu que o delegado da Polícia Civil, José Carlos Mastique Filho, morto com um tiro disparado por um policial militar após uma abordagem da PM em um posto de gasolina no centro de Itabuna, estava sob efeito de álcool e drogas na noite da ocorrência há cerca de 2 meses. A informação é do jornal grapiúna A Região. O laudo é assinado assinado pelos peritos Gustavo de Argolo Ferreira e Odacir Miranda Souza, da Coordenação de Tecnologia Forense da Polícia Civil.  

Defesa do delegado

O advogado Gustavo Brito, que foi contratado pela família do delegado, emitiu uma nota publicada no blog Políticos do Sul da Bahia, onde afirma que lamenta “A equivocada tentativa de distorção dos fatos veiculada em diversos meios de comunicação. As provas colhidas até o momento evidenciam de maneira cristalina que o delegado José Carlos Mastique foi vítima de um homicídio praticado por policial militar, em via pública, apesar de durante o episódio ele ter permanecido de forma calma e pacífica, sem realizar qualquer reação”. A nota afirma ainda que “A família deposita confiança no Poder Judiciário, e, apesar do grande sofrimento suportado pela perda deste ente querido, rechaça duramente a vil e equivocada tentativa de depreciação de sua imagem”.