Setor florestal vai investir pelo menos R$ 2 bilhões na Bahia até 2024

As áreas de florestas plantadas na Bahia registraram um crescimento anual de 9,4% entre 2017 e 2018. Uma expansão que tem estimulado os empresários do segmento, que pretendem investir pelo menos R$ 2 bilhões nos próximos cinco anos no estado.

“Estes investimentos serão realizados em novos plantios, em programas socioambientais, em pesquisas, inovação e modernização industrial”, afirma Wilson Andrade, diretor-executivo da Associação Baiana das Empresas de Base Florestal (ABAF).

O setor quer aproveitar o momento e estreitar ainda mais os laços com universidades e centros de pesquisas que desenvolvem práticas sustentáveis e produtos inovadores a partir do eucalipto. “Queremos aproximar a indústria da academia e da sociedade. Realizar ações de cooperação com universidades estaduais e federais. A ideia é trocar informações, dialogar cada vez mais, para que possamos crescer juntos”, completa Andrade.

Segundo o relatório Bahia Florestal, lançado na quarta-feira (7/8) em Salvador, durante a abertura do IV Congresso Brasileiro de Eucalipto, o estado possui 657 mil hectares de plantações florestais, o que lhe garante o 4º lugar no ranking nacional no cultivo do eucalipto. A árvore ocupa cerca de 94% da área cultivada por floresta, seguida pelas seringueiras. Ainda de acordo com o documento, as fazendas baianas já possuem a maior produtividade do país no cultivo de florestas plantadas, ultrapassando 30 metros cúbicos por hectare ao ano. E que cerca de 20% dos plantios florestais do estado são mantidos por pequenos e médios produtores.

O congresso reúne até esta quinta-feira, 8 de agosto, os principais representantes nacionais do setor, além de produtores rurais baianos, autoridades políticas e pesquisadores.

“O Eucalipto é um produto do meio rural e temos que ter orgulho deste cultivo que gera empregos formais e leva benefícios para as comunidades ao redor. Este cultivo está ligado ao avanço tecnológico, as pesquisas e ao desenvolvimento social”, afirma Moacyr Fantini Junior, presidente da Associação Baiana das Empresas de Base Florestal (ABAF).