Vereadores com mandato já estão com dificuldade para montar chapas em Porto Seguro

Os atuais 17 vereadores de Porto Seguro já estão encontrando sérias dificuldades para conseguir pré-candidatos a vereador sem mandato para formar as chapas partidárias para 2020. 

Entenda por que

Cada vereador com mandato recebe hoje entre salário e benefícios R$ 16,8 mil por mês. Cada um ainda conta com 5 assessores na Câmara e, segundo rumores, uma média de 100 funcionários nomeados ou contratados na prefeitura, fora os favores diretos da prefeita e outras coisas impublicáveis.

“Escadas”

Assim como já analisamos no cenário em Eunápolis, é importante dizer que a estimativa de cada vereador com mandato em Porto Seguro tem previsão média de 1.000 a 1.200 votos, enquanto o pré-candidato sem mandato, tem o potencial médio (otimista) de 400 a 600 votos. 

Significa que o pré-candidato sem mandato que for integrar alguma chapa que tenha vereadores com mandato, além da desvantagem financeira e de não contar com a máquina, não tem chance de ser eleito, agora com as novas regras eleitorais que proibe coligação e cada partido disputa por si mesmo.

Novatos e sem mandato só vão servir de “escadas” para que os 17 vereadores com mandato sejam reeleitos. 

“Chapas da morte”

Hoje, a prefeita Cláudia tem 17 Vereadores que lhe apoiam em tudo e que devem tentar a reeleição fazendo parte das “Chapas da morte”, cujas chances dos novatos é zero. Considerando 4 a 5 partidos da base aliada para abrigar esse povo, cada partido terá 4 ou 5 vereadores com mandato nas chapas da prefeita. Cada chapa elegerá, no máximo, 3 vereadores. com bom desempenho.

Pior: além dos vereadores de mandato, as chapas terão também vários outros candidatos a vereador que hoje ocupam cargos importantes em Diretorias ou Secretarias, com prestígio e muitos recursos financeiros. Portanto, com grande potencial de votos e chances reais de eleição.

O pré-candidato a vereador novato ou fora do poder deve pensar muito antes de escolher ingressar num partido a serviço da prefeita. Lá só tem vaga de “escada” para ajudar reeleger os vereadores com mandato e os preferidos do grupo político da prefeita.

Por Gerladinho Alves, jornalista e editor do Bahia40graus

Reprodução proibida sem autorização do autor