Bahia é a 6ª economia do País, veja detalhes

Segundo o IBGE, a Bahia contribui com cerca de 4% do PIB brasileiro. Mas, com apenas 20 empresas no ranking das 1.000 maiores em faturamento, de acordo com dados da revista do jornal Valor Econômico. O raio-X da economia baiana foi feito pelo colunista do jornal A Tarde Armando Avena. 

Matrizes fora do estado

Avena salienta que os dados são referente ao ano de 2018 e não contabiliza empresas que possuem unidades no estado, mas cuja matriz está em outras unidades da federação, como, por exemplo, a Petrobras, a Ford, a Basf, a Wilson Sons e muitas outras companhias.

O ranking demonstra, porém, que a Bahia é o estado da região Nordeste com maior número de empresas listadas entre as mil maiores companhias, sendo seguido pelo Ceará, embora os dois estados nordestinos tenham perfis produtivos muito diferentes.

As maiores da Bahia

Entre as 20 maiores empresas baianas, 9 são da área de petróleo, petroquímica, gás e energia; 3 três da área de celulose; 3 da área de mineração e uma do setor de borracha – sendo todas produtoras de insumos e matérias-primas.

E apenas 4 empresas presentes no estado são de setores que mais empregam, o que mostra uma economia concentrada demais na produção de insumos e matérias-primas que tem como mercado o exterior ou outros estados.

As 5 maiores empresas privadas da Bahia são: Braskem, que é 7ª maior do País; Suzano; Paranapanema

Larco e Petrobahia. Todas produtoras de insumos ou combustíveis. 

Resumo

O colunista do A Tarde resume: “a Bahia é uma economia mais moderna e mais integrada nacionalmente, mas precisa verticalizar a produção, atraindo empresas produtoras de bens finais e, ao mesmo tempo, se jogar de cabeça no mundo da inovação e da tecnologia.” 

As maiores no setor de serviços​

No setor de comércio e serviços, 4 empresas baianas s estão entre as maiores do País: 

Atakarejo e Le Biscuit (varejo); Santa Casa de Misericórdia (saúde) e Grupo TPC (transporte).

O desempenho dessas empresas impressiona, destaca Avena, afinal, quem vive a nostalgia do antigo supermercado Paes Mendonça precisa saber que a Atakarejo teve em 2018 um faturamento anual de R$ 1,3 bilhão e está posicionada entre as 30 maiores redes de supermercados do País.

A Le Biscuit registra um faturamento de R$ 700 milhões, vindo, a seguir, a Santa Casa de Misericórdia e o grupo TPC de logística, com receitas de R$ 600 milhões e R$ 450 milhões, respectivamente.

Construção civil baiana em alta

A Bahia criou 32,6 mil  empregos com carteira assinada de janeiro e agosto deste ano, 4 vezes mais que o mesmo período em 2018. Lidera o ranking o setor de construção civil (40%).

O setor criou 12,8 mil novos postos, 10 vezes mais que em 2018, melhor desempenho desde 2010, quando houve recorde de lançamentos.

A nova linha de financiamento  reajustada pelo IPCA, a redução de juros, o baixo estoque de unidades e a queda na rentabilidade das aplicações de curto prazo, com alta da demanda por investimento em imóveis, estimulam e permitem dizer que 2019 será o melhor ano para o setor  da construção civil desde 2010.