Gestante perde trigêmeos por falta de estrutura no SUS em Eunápolis

A jornalista Alinne Werneck relata mais um caso lamentável, com perda de 3 vidas, resultado diretamente ligado à falta de estrutura na alta complexidade da saúde pública de Eunápolis.

Conta Aline que a gestante Dilma, moradora do bairro Juca Rosa, teve de se deslocar para Salvador de ônibus, uma desconfortável viagem de 12 horas, para fazer exames e marcar o parto dos trigêmeos que carregava na barriga, numa gravidez de risco, com chance de nascerem prematuros, depois de constatado pelos médicos que os 3 iriam precisar de UTI Neonatal, que não tem no Hospital Regional de Eunápolis.

A saga de Dilma resultou na morte dos 3 bebês na capital baiana e no internamento dela, com edema, em um hospital de Salvador.

O parto prematuro malsucedido dos trigêmeos ocorreu em Salvador, segundo relato de Alinne Werneck, na terça-feira, 29/10, quando Dilma estava se preparando para retornar à Eunápolis, de ônibus, acompanhada do marido.  

Compromete o curso de Medicina

Apesar de ter curso de Medicina, Eunápolis tem uma estrutura de saúde pública precária, onde a população sofre muito e ainda tem que disputar vagas com pacientes apadrinhados por vereadores.

Lamentável!