Eunápolis: mesmo com Robério todo dia nas ruas Cordélia se mantém na frente

Os roberistas comemoraram muito a decisão do STF que proibe prisão por sentença condenatória de 2ª instância, sem trânsito em julgado. Mas a preocupação com 2020 ainda tira o sono do prefeito de Eunápolis. 

Mesmo não correndo mais risco de ser preso por condenação pelo TRF1 (Justiça Federal de 2ª instância em Brasília) no caso das duas operações da Polícia Federal, Gênesis e Fraternos, Robério Oliveira vê seu capital político sendo destruído pelos erros e descasos da administração, após 3 mandatos como gestor e meio como deputado, por sinal, um parlamentar inexpressivo na Assembleia, onde quase não ia às sessões.

Uso da máquina

Roberistas mais apegados a boquinha proporcionada pelos cargos e contratos na prefeitura ainda acreditam que o uso intenso da máquina pública, com inaugurações, nomeações de cargos comissionados, doações na área social e o uso escandaloso do atendimento do SUS no Hospital Regional e postos de saúde, com claro objetivo político eleitoral, ainda vão conseguir reverter a grande desvantagem que Robério tem hoje na disputa com Cordélia, projetando o cenário futuro de 2020. 

Cordélia

Mesmo assim, a prefeiturável da oposição se mantém na frente da corrida eleitoral, principalmente nos bairros da periferia, onde as ações da prefeitura são bem raras e o sofrimento da população é grande. Pesquisas de consumo interno apontam isso.

Registre-se que essa popularidade de Cordélia vem crescendo desde a campanha para deputada no ano passado, quando ela teve mais do dobro dos votos da filha do prefeito na cidade. Nem o fechamento da rádio 98 FM pela Justiça não impactou negativamente como esperavam os adversários.

Não ganhou ainda

Mas o clima de “já ganhou” entre os dapezistas e eleitores cativos de Cordélia prejudica mais a pré-campanha do que ajuda. Daqui até outubro do ano que vem ainda falta muito tempo e estrada a percorrer.  

Só para lembrar: não existe eleição ganha antes do resultado.