Óbito de recém-nascido no Hospital Regional precisa ser bem esclarecido

A família acusa a unidade de saúde de demorar para realizar o parto; a direção diz que a família estaria fazendo política.

Videos postados no Facebook, produzidos pela jornalista Aline Werneck com a manifestação de familiares de uma paciente do Hospital Regional que perdeu seu bebê recém-nascido, na sexta-feira, 6/12, após mais um parto malsucedido naquela unidade de saúde, está mostrando o total despreparo da direção do hospital, principalmente no trato com a imprensa.   

Sem esclarecimento

Entre ataques pessoais a jornalista e versões oficiosas do hospital, o caso está até agora sem o esclarecimento técnico de um médico obstetra ou da direção clínica da unidade de saúde, onde óbitos de recém-nascidos virou rotina. Há divergências entre o que diz a família e testemunhas com o que a direção administrativa do hospital sustenta, baseada na versão do coordenador de enfermagem. 

Jairo está no palanque

Fiel escudeiro do prefeito Robério Oliveira, o diretor da unidade, Jairo Júnior, apesar da formação para o cargo, prefere atacar nas redes sociais a jornalista que trouxe o caso para a midia, atribuindo a reportagem a uma ação política, no que foi desmentido por uma parente da paciente que perdeu o bebê. 

O diretor, que sempre foi coringa de Robério em governos e campanhas eleitorais, é seguido por uma legião de servidores da prefeitura, nomeados em cargos comissionados, nos ataques a Aline. O comportamento pode ser caracterizado como assédio profissional para assassinar a reputação da jornalista e talvez até mesmo constrangimento ilegal nas redes sociais, praticado por servidores públicos com abuso de autoridade.  

Esposa na Ouvidoria do SUS

A Ouvidoria do SUS na cidade, onde um inquérito poderia ser instaurado para apurar o caso,  tem a esposa do diretor do hospital nomeada como Ouvidora. Inacreditável, mas é desse jeito que está a saúde pública em Eunápolis.

Márcia sem força

Enquanto isso, a secretária Márcia Quaresma não tem poder para interferir na gestão de Jairo no hospital, uma vez que os 2 disputam a pasta desde que Márcia botou os pés em Eunápolis. Ele boicotando ela e ela pulando as armadilhas, parece video game.

Eunápolis tá desse jeito. 

Por Geraldinho Alves, jornalista e editor do Bahia40graus

error: