PRF faz balanço da Operação Rodovida (Natal) na Bahia. Confira os números

Terminou a meia-noite do dia 25/12 a Etapa Natal da Operação Rodovida na qual a Polícia Rodoviária Federal (PRF) na Bahia realizou o reforço do policiamento nas rodovias federais que cruzam o estado, com foco nas ultrapassagens proibidas e forte combate à embriaguez ao volante, dois fatores que aumentam os riscos de acidentes graves nas estradas.

Após 5 dias de operação, foram abordados 10.488 veículos, 11.395 pessoas foram fiscalizadas e 5.896 testes de alcoolemia realizados. Observou-se um aumento de 14%, comparado ao mesmo período de 2018, do número de pessoas que recusaram realizar o teste do etilômetro (aparelho utilizado para aferir a quantidade de álcool ingerido pelo condutor, conhecido popularmente como bafômetro), totalizando 103 condutores autuados por alcoolemia ao volante na modalidade recusa.

Além disso, 15 pessoas foram flagradas conduzindo o veículo embriagadas, sendo autuadas também por alcoolemia ao volante na modalidade constatação, e 6 pessoas foram presas por embriaguez. Em relação às ultrapassagens proibidas, embora o número ainda seja alto (827), houve uma redução de 54% quando comparado ao ano passado.

A PRF também flagrou outras imprudências cometidas por condutores nas rodovias, como não uso de cinto de segurança por condutor ou passageiro (339 pessoas), não uso do capacete (47 motociclistas) e falta de descanso do motorista de veículo de carga (117 condutores).

Neste período de Natal, a Polícia Rodoviária Federal atendeu 60 acidentes nas rodovias federais baianas, sendo registrada uma redução de 4% no número de acidentes com feridos (47), manutenção do número de acidentes graves (21), quando comparado ao Natal do ano passado. Foram ainda registrados 6 acidentes fatais.

A PRF alerta os condutores da necessidade de respeitar as normas de trânsito, bem como realizar a revisão do veículo. As imprudências cometidas pelos condutores, principalmente a ultrapassagem proibida, embriaguez ao volante, além da falta do uso do cinto de segurança, são fatores que agravam a situação dos acidentes. 

Todos fazem parte da construção de um trânsito menos violento e mais seguro.