ACM Neto precisa recuperar a força política no extremo sul

O jornalista político Geraldinho Alves, do Bahia40graus, analisa o silêncio de ACM Neto diante das candidaturas do DEM no extremo sul baiano.

Presidente nacional do DEM e prefeito de Salvador, ACM Neto perdeu parte da força política que tinha no extremo sul da Bahia desde que desistiu na última hora de disputar o governo do estado em 2018, jogando a toalha e colocando o então prefeito de Feira de Santana, Zé Ronaldo, no fogo. 

A atitude inesperada do líder maior da oposição no estado deixou quase todas as lideranças políticas do grupo na mão em todo o interior baiano. essa confiança precisa ser recuperada. 

Boatos

Até agora, ACM Neto ainda não disse oficialmente como vai se posicionar no extremo sul, onde as 3 maiores cidades – Teixeira de Freitas, Eunápolis e Porto Seguro – esperam ansiosas sua posição de apoio oficial às candidaturas do DEM a prefeito e vereador. 

Os candidatos falam dele, mas ele não fala dos candidatos. Os adversários se aproveitam para espalhar boatos negativos, plantando insegurança.

Evasão

Nessas 3 maiores cidades da região, o Democratas precisa se reorganizar, algumas lideranças já pularam para o time dos adversários, o ânimo da tropa também não anda muito confiante. E a conta vai para o prefeito de Salvador, caso algo dê errado. Afinal, ele tem vindo à região curtir folgas em locais reservados, longe dos holofotes.

Foco em Salvador

É notório que o foco de ACM Neto está praticamente 100% voltado para Salvador onde seu vice, Bruno Reis, foi lançado como sucessor. 

Mas 2020 é ensaio para 2022. O interior conta muito para qualquer projeto que tenha como alvo o Palácio de Ondina. Deixar as candidaturas no interior entregues à sorte achando que 2020 é uma coisa e 2022 outra é arriscar muito. 

error: