Fraudes no Detran: Operação da PRF cumpre 21 mandados de prisão

Cumprindo 15 mandados de prisão e 21 de busca e apreensão nos estados da Bahia, Espírito Santo e Minas Gerais,  a na Bahia, a Polícia Rodoviária federal (PRF) deflagrou, nesta quarta-feira, 21 de novembro, a Operação Raptores, para desarticular quadrilha especializa em fraudar dados cadastrais nos Detrans (BA, ES e MG) e adulterar especificações em carretas de transporte de cargas. Funcionários do órgão são investigados.

Além da PRF, a ação tem a participação do Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MP-ES), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/Central), com apoio do Núcleo de Inteligência da Assessoria Militar do MP-ES, com apoio de policiais rodoviários federais e militares dos 3 estados envolvidos na operação. 

COMO A QUADRILHA AGIA – Conforme a investigação, mais de 570 carretas tiveram a capacidade de carga aumentada de forma clandestina e sem passar por critérios e exigências dos órgãos de fiscalização levando risco para a estrada. Essas alterações afetavam partes importantes como freios e pneus.

As investigações também apontaram que a quadrilha usava eixos de carretas envolvidas em acidentes, já desgastadas, para fazer a adulteração. Em um dos casos, a quadrilha chegou a usar o documento de um reboque de carro de passeio para fazer a adulteração para que servisse em uma carreta.

ACIDENTES – A PRF tem dados de que 1.264 acidentes com esses veículos adulterados foram registrados no Espírito Santo em 2017. Ao todo, 123 pessoas morreram. Entre os acidentes está o maior da história do Estado capixaba, que matou 23 pessoas na BR-101, em Guarapari. Este ano, estima-se que esses veículos causaram 881 acidentes, com 78 mortes.

Comentários