Sede da Petrobras na Bahia custou 4 vezes mais, veja quem foi preso

A fase 56 da Lava Jato, chamada de Sem Fundos, revelou que a construção da nova sede da Petrobras, em Salvador (BA), conhecida como Torre Pituba, foi superfaturada em ao menos 4 vezes acima do preço real. Segundo o MPF (Ministério Público Federal), a obra foi orçada em R$ 320 milhões, mas custou quase R$ 1,3 bilhão.

Presos na Bahia – Entre os presos na Bahia (6 preventivas e 9 temporárias), apenas 3 tiveram os nomes divulgados:

1 – Mário César Suarez, executivo da OAS

2 – Manuel Ribeiro, ex-secretário de Desenvolvimento Urbano no governo de Jaques Wagner (PT) e ex-diretor da OAS na Bahia

3 – Elmar Varjão, ex-presidente da OAS

Os outros detidos no estado não foram divulgados até o momento.

Petrobras – A Petrobras informou que a nova fase da Operação Lava Jato teve início a partir de uma investigação que a própria empresa realizou internamente e que os relatórios foram encaminhados ao Ministério Público Federal.

A empresa também afirmou que colabora com as investigações desde 2014, e atua como coautora do Ministério Público Federal e da União em 16 ações de improbidade administrativa em andamento, além de ser assistente de acusação em 54 ações penais.