Ações criminosas no Ceará são represália à posse de Bolsonaro diz general

“Não vamos negociar com criminosos, vamos partir para o confronto”, diz general Theophilo, secretário nacional da Segurança Pública e candidato a governador do Ceará derrotado no ano passado.

O governo federal já deu sinais de que tem tropas disponíveis para enfrentar as facções criminosas no Ceará, que nos 2 últimos dias ordenaram ataques a dezenas de ônibus, prédios públicos e privados, além de delegacias na Região Metropolitana de Fortaleza e interior do estado.

REPRESÁLIA – O general Guilherme Theofhilo afirmou que já era esperada onda de ataques em represália à posse de Bolsonaro. O general disputou o governo do Ceará em outubro do ano passado e foi derrotado pelo candidato do PT, hoje governador reeleito Camilo Santana.

Ônibus foram queimados na região metropolitana de Fortaleza e polícia suspeita que violência seja ato de represália

1 – Nesta sexta, 4/1, toma posse em Brasília o novo comandante da Força Nacional de Segurança, o coronel da PM Antônio Aginaldo de Oliveira, ex-comandante do Batalhão de Policiamento Especializado (BPE) da Polícia Militar do Estado do Ceará. Será o primeiro nordestino a comandar a tropa nacional.

2 – Segundo a inteligência da polícia cearense, os ataques de criminosos estariam partindo de dentro dos presídios.

3 – Desde a noite de quarta-feira (2/1), ocorreram 43 ataques a prefeituras, delegacias, agências bancárias e ônibus em Fortaleza, Tinguá, Pacatuba, Horizonte, Maracanaú, Caucaia, Pindoretama, Eusébio, Morada Nova, Jaguaruana, Canindé e Piquet Carneiro.

4 – Desde o início dos ataques, 13 ônibus foram incendiados, tiros foram disparados contra prédios e bancos, bombas incendiárias caseiras foram arremessados contra delegacias.

5 – Uma bomba foi colocada na coluna de um viaduto na BR 020, em Caucaia, comprometendo a estrutura.

Criminosos fazem série de ataques a ônibus e prédios públicos na Grande Fortaleza — Foto: Reprodução