Especulação imobiliária e vandalismo também podem ter causado incêndios em Eunápolis

Versão oficial contada pelo secretário ‘apaga-fogo’ Pedro Vailant de que a seca é única responsável parece encobrir a realidade.

Desde o começo deste ano, inúmeros incêndios na vegetação – incluindo áreas de preservação ambiental – estão causando prejuízos e transtornos em Eunápolis sem que o poder público aponte as causas reais nem tome iniciativa para prevenir os focos e restaurar a vegetação. A onde de incêndio também atinge outras cidades e regiões. Mas nem todos causados pela seca. 

SUSPEITAS – Por trás das chamas estariam empresários ligados ao ramo imobiliário e vândalos, no caso de Eunápolis. Em outras regiões há rumores de que os incêndios seriam ação política. Não há informação de inquéritos abertos pela polícia para investigar as ocorrências. A Secretaria de Meio Ambiente se manifestou de forma evasiva. O secretário da pasta, Pedro Vailant, se gaba de ser voluntário nas brigadas que combateram alguns focos de incêndio. Seu assessor e braço direito postou fotos nas redes sociais exibindo o feito. Alega-se que o fogo é consequência da seca. 

Enquanto isso, o dano irreparável causado à vegetação está consumado. Um paliativo seria ‘reflorestar’ as áreas atingidas pelo fogo, ação de resultado a longo prazo. Apagar fogo dá ibope, preservar e plantar árvores nem tanto.