Vereador do PSL é preso por receber parte dos salários pagos aos assessores

Cláudio Duarte, vereador do PSL, mesmo partido do presidente Jair Bolsonaro, foi preso temporariamente nesta terça, 2 de abril, em Belo Horizonte. Segundo a investigação da Polícia Civil de Minas Gerais, o parlamentar embolsou R$ 1 milhão desde janeiro de 2017, quando estreou na política, eleito com 4.513 votos.  

A Justiça também decretou a indisponibilidade de bens do vereador, que ficará afastado por 60 dias do mandato. Seu assessor Luiz Carlos Cordeiro também teve a prisão temporária decretada. Agentes estiverem no gabinete, na casa e em uma associação de Duarte: todos os computadores foram apreendidos. O vereador vai responder pelos crimes de peculato, concussão, formação de organização criminosa e obstrução da Justiça. Além de Cláudio e do chefe de gabinete, outros quatro funcionários do vereador também foram afastados das funções.

No último fim de semana, o vereador participou de um ato na capital mineira em defesa da ditadura militar.