Eunápolis faz 31 anos com muitos problemas a resolver

A cidade ainda tem mais de 80% dos imóveis sem saneamento básico, apesar do projeto dormir na gaveta da Embasa.

Com 1.179.126 km² de área e 112 mil habitantes, segundo o IBGE, Eunápolis deixou de ser o maior povoado do mundo para virar município em 12 de maio de 1988, desmembrado de Santa Cruz Cabrália e Porto Seguro, no extremo sul da Bahia. Na emancipação política, ficou sem o distrito de Vera Cruz. Mas depois  ganhou um pedaço de Belmonte, onde foi construída a fábrica da Veracel.

Eunápolis tem localização privilegiada, às margens da BR 101, cuja obra de construção do trecho trouxe os primeiros habitantes, na década de 1950.

Mas os problemas do município jovem, com apenas 31 anos de emancipação, são muitos:

1 – 80% dos imóveis não têm rede de esgoto

2 – O único manancial onde a Embasa coleta água para tratar e fornecer à população, o Rio Buranhém (ou Rio do Peixe), está assoreado e correndo risco de secar

3 – Temos uma grave crise energética, sem potencial para instalação de indústrias, travando o desenvolvimento

4 – As escolas municipais estão instaladas em imóveis alugados, inadequados, insalubres e precários, criando a indústria  de reformas anuais. O município tem poucas escolas próprias.

5 – A rede pública de saúde passa pelo pior momento da história dos últimos anos, com o hospital regional vivendo o caos administrativo, sem medicamentos, médicos e materiais

6 – Os postos de saúde funcionam com o mesmo cenário de falta de médicos e medicamentos

7 – A fiscalização ambiental é frouxa e permite agressões à natureza sem punição

8 – A cidade tem um distrito industrial ocupado pelo comércio e empresas do setor de serviços, nada faz faz para atrair indústrias

9 – A prefeitura tem quase metade dos cargos comissionados por indicação política e não técnica, criando um exército de assessores que só recebem salário sem produzir nada

10 – Faltam políticas públicas para atacar a desigualdade social, o flagelo das drogas e melhorar o ensino público, mas principalmente para criar emprego e renda

11 – O governo municipal hoje vive do improviso, politicagem barata e propaganda enganosa

12 – O prefeito Robério Oliveira (PSD), que está no 3º mandato, responde a inúmeros processos na Justiça acusado de improbidade, organização criminosa, lavagem de dinheiro, corrupção e fraudes em licitações.

13 – Ele é pivô em duas operações da Polícia Federal

14 – A Operação Gênesis, apura desvios de R$ 16 milhões no contrato do transporte escolar na prefeitura de Porto Seguro, onde a esposa de Robério, Cláudia é prefeita. Ele era secretário lá quando da celebração do contrato

15 – Operação Fraternos, investiga supostos desvios em dezenas de contratos que totalizam R$ 200 milhões, envolvendo as prefeituras de Eunápolis, Porto Seguro e Cabrália (onde o prefeito é seu cunhado Agnelo)