Filho de Bolsonaro tenta suspender investigação pela 3ª vez

Quem não deve não teme, mas o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) parece que prefere não arriscar.

Nesta quarta-feira, 29 de maio, o jornal Folha de São Paulo informa que o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) propôs a 3ª medida judicial contra a investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro sobre supostas práticas de crimes em seu gabinete na Assembleia Legislativa.

O filho do presidente já tentou antes até mesmo obter foro privilegiado no STF, sem sucesso.

Segundo o jornal, a defesa de Flávio apresentou na semana passada um pedido de habeas corpus ao Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro contra a decisão do juiz Flávio Itabaiana, da 27ª Vara Criminal, que determinou as quebras de seus sigilos bancário e fiscal.

A peça da defesa, mantida sob sigilo, tem argumentos semelhantes aos apresentados pela defesa de Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador e pivô da investigação, segundo a Folha apurou.

Para o Ministério Público do Rio, há indícios robustos dos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa no gabinete de Flávio de 2007 a 2018, período em que Queiroz trabalhou com o então deputado estadual como uma espécie de chefe de gabinete. Foi com base nesses indícios que a Promotoria solicitou a quebra dos sigilos bancário e fiscal de 86 pessoas e nove empresas, incluindo a esposa do senador e pessoas ligadas à milícia carioca.