Golpe na Caixa em Cabrália: prefeito manobra com vereadores para obter empréstimo de R$ 15 milhões

Presidente da Câmara Municipal, Romali Pairana, está retendo na gaveta a Ata que comprova a manobra na votação que autorizou (ilegalmente) o Executivo a obter o financiamento de até R$ 15 milhões junto à Caixa Econômica Federal. Por sinal, o site da Câmara também está fora do ar desde abril.

Os dirigentes da Caixa precisam tomar conhecimento do que está acontecendo em Santa Cruz Cabrália, na Costa do Descobrimento, onde o prefeito Agnelo Júnior (PSD), investigado pela CGU, Ministério Público e Polícia Federal por corrupção, organização criminosa e lavagem de dinheiro na Operação Fraternos, tenta esse empréstimo sem apresentar um plano de aplicação do recurso, nem cronograma de pagamento, segundo fonte ligada ao governo.

Para conseguir a aprovação, o prefeito e o presidente da Câmara  manobraram para que houvesse apenas uma sessão na votação e que o resultado fosse por maioria simples, apesar de tratar-se de matéria relevante que comprometeria o Orçamento futuro do município.

Presidente segurou a Ata

Com 4 vereadores contrários, 7 edis autorizaram o empréstimo, mas a Ata da sessão foi engavetada pelo presidente da Casa, evitando qualquer ação judicial por parte dos contrários.

O que Romali Pairana estaria escondendo se a Ata é um documento público? Estaria escondendo a prova do golpe na Caixa?

O que a Superintendência da Caixa em Itabuna tem dizer de tudo isso? E os dirigentes em Brasília?