PF pegou ex-prefeito envolvido em esquema com posto de combustível

A Polícia Federal cumpriu nesta terça-feira, 16 de abril, 7 mandados de busca e apreensão em Salvador e interior da Bahia, tendo como alvo a prefeitura de Lafaiete Coutinho, cidade do sudoeste baiano, onde a mesma empresa de combustível ganhou todas as licitações de 2010 a 2016. 

O deputado estadual do PP, Zé Cocá (PP), ex-prefeito de Lafaiete Coutinho, também foi alvo da operação batizada de Three Hills (três colinas). Ele afirmou que a classe política está “vulnerável” e disse que já cogitou deixar a vida pública.

“Antes de qualquer coisa, você é taxado de ladrão. Às vezes, me sinto triste de ser político”, discursou o parlamentar, durante sessão na Assembleia Legislativa, com a a peculiar cara de pau de todos os políticos quando são acusados de corrupção.

Petista defende deputado acusado – Líder do governo na Casa, o petista Rosemberg Pinto foi um dos deputados a prestar solidariedade ao ex-prefeito e disse que há uma “criminalização da política”.

Investigação – A Operação Three Hill tem o propósito de combater fraudes em licitações e desvio de verbas públicas em Lafaiete Coutinho. De acordo com a polícia, as investigações começaram em 2016, depois de denúncia apontando a mesma empresa vencendo todas as licitações para o fornecimento de combustível na cidade, durante 7 anos. O gestor do município utilizava o nome de “laranjas” para disfarçar a fraude, mas só 1 empresa dele comparecia à licitação e levava o contrato. A polícia informou que há indícios de superfaturamento no esquema.  

Ainda segundo a PF, nas investigações ficou comprovado que o posto de combustível na verdade era administrado por um servidor da Prefeitura de Lafaiete Coutinho, que chegou a ser responsável pela conferência do recebimento do material em relação a dois procedimentos licitatórios, além de Presidente da Comissão Permanente de Licitação em um certame e Pregoeiro designado pelo prefeito em outro certame.