Presidente nacional da OAB se manifesta contra a Lava Jato e advogados protestam

Felipe Santa Cruz (foto), escolhido pelos conselheiros para presidir a Ordem dos Advogados do Brasil, afirmou que a ininterrupta expectativa por novas fases da Operação lava Jato gera uma paralisia nos setores público e privado. A declaração causou manifestação de protesto de advogados em todo o país. Alguns pedem até a extinção da entidade, outros ligam a declaração ao fato de Santa Cruz ser “petista”. O fato é que o novo presidente nacional começa a gestão instalando uma crise institucional na entidade que representa aos advogados.

Para ele, há um clima de insegurança jurídica no país com “investigações sem fim”. O novo presidente da OAB falou ainda que “o Judiciário, assim como qualquer outro poder, deve responder pelos seus erros. Não devemos fazer da Lava Jato um livro em fascículos interminável. Para nós é preocupante a paralisia do poder público, um apagão das canetas diante da insegurança jurídica. O país está parado como se estivesse num grande processo de acompanhamento de investigações sem fim”, disse Felipe Santa Cruz em entrevista à Folha.

DEFESA

Desnorteado com os protestos da classe nas redes sociais, Felipe Santa Cruz se defendeu nas redes sociais, alegando ter sido alvo de “robôs pagos por movimentos extremistas”. Mas as reações ao seu ‘desabafo’ demonstraram que os ‘detratores’ não eram ‘robôs’, mas advogados insatisfeitos com o presidente da entidade.

Neste final de semana, o advogado Cristiano Caiado de Acioli, que ficou conhecido por seu entrevero com o ministro Ricardo Lewandowski, gravou um vídeo pedindo a extinção da OAB. O sentimento manifestado por Caiado começa a crescer em todo o país.

ASSISTA VÍDEO GRAVADO POR CRISTIANO CAIADO DE ACIOLI