Propina no judiciário vai parar na PF

Na manhã desta quinta-feira, 23 de maio, em Belo Horizonte, uma operação da Polícia Federal (PF) intimou 2 empresários e 1 advogado (ex-juiz) para prestar depoimentos na investigação de suspeita de pagamento de propina num acordo de mais de R$ 2 milhões numa causa perdida na Justiça de Minas Gerais pelo banco Rural.

Suspeitos

Segundo o portal G1 são suspeitos os empresários José Elias da Silva Júnior e Luciano José da Silva, sócios da empresa Packfoods Comércio Empacotadora e Beneficiadora. E ainda o advogado Bady Elias Curi Neto, ex-juiz do TRE de Minas Gerais, que teria intermediado pagamento da propina.