Idosa de 65 anos é submetida a humilhação dentro de ônibus da GWG em Eunápolis

Aline Werneck, especial para o Bahia40graus

Concessionária de transporte coletivo em Eunápolis, a empresa GWG vem se equivocando e descumprindo a lei. Ela não pode impedir nenhum idoso de 65 anos acima de viajar gratuitamente no transporte coletivo mesmo que 10% dos assentos destinados à eles já estejam ocupados.

Uma idosa de 65 anos, portadora de doença crônica que requer tratamento médico contínuo, passou por humilhação dentro de um ônibus coletivo da GWG, em Eunápolis, enquanto ela se dirigia para aquisição de remédios pelo SUS. 

O motorista do ônibus, de forma grosseira e descumprindo lei federal, negou a ela a gratuidade da viagem, alegando que os assentos para idosos já estariam ocupados. 

Conforme ela mesma narra em áudio, o motorista exigiu que a passagem fosse paga, ameaçando retirá-la de dentro do veículo. Ouça a narrativa da própria idosa, cujo nome não divulgamos a pedido da família:

Idosa narra humilhação sofrida em transporte coletivo

GWG descumpre a lei

A jornalista Aline Werneck ouviu relato do Ministério Público que esclarece sobre a questão: a GWG descumpre a legislação federal e o estatuto do idoso ao impedir a viagem gratuita nos ônibus após o preenchimento das vagas destinadas a idosos.

Está havendo uma má interpretação da lei, o idoso tem direito a gratuidade no transporte urbano público ou privado, ainda que todos os assentos destinados a idosos estejam completos, reservar 10% dos assentos dos ônibus é lei, porém, ao completar este número em hipótese alguma o idoso deve ser retirado do interior do ônibus, neste caso o idoso pode se sentar nos assentos comuns. 

O Ministério Público já está ciente de que a empresa continua descumprindo a lei.

Desumanidade

Nas redes sociais, a filha da idosa que foi submetida a humilhação afirma que a empresa agiu de maneira cruel e desumana ao não permitir que a sua mãe, uma senhora de 65 anos, com doença que requer tratamento constante, exercesse seu direito à gratuidade no ônibus coletivo da GWG.

Por Aline Werneck com Geraldinho Alves, Para reproduzir parte ou inteiro teor solicite autorização dos autores.

Foto: Internet