Menu
Banner Prefeitura TOPO
17 de Outubro de 2018

Adolfo Viana (PSDB) passa dos 100 mil votos e é eleito deputado federal

  • Publicado em Bahia

O jovem deputado estadual Adolfo Viana (PSDB), de 37 anos, foi o único tucano a ser eleito na Bahia para deputado federal, com 102.603 votos. Da mesma legenda, o ex-prefeito de Salvador Imbassahy disputou a reeleição uma vaga para a Câmara Federal, mas ficou na suplência com 66.320 votos. Adolfo Viana ampliou sua base eleitoral, contando este ano com apoio de novas lideranças políticas também no extremo sul, como o ex-prefeito de Eunápolis, Neto Guerreiri, e o vice Flávio Baiôco.

 

Leia mais ...

Desistência de João Gualberto praticamente garante eleição de Adolfo Viana para deputado federal

  • Publicado em Bahia

O deputado federal João Gualberto desistiu nesta terça-feira, 14 de agosto, de disputar a reeleição e anunciou que vai deixar a vida pública, embora vá continuar a apoiar a candidatura de José Ronaldo a governador e os candidatos da oposição. Com a decisão, o jovem deputado estadual Adolfo Viana, pré-candidato a deputado federal, herda naturalmente a maioria dos votos do amigo pessoal João Gualberto, com quem na eleição passada fez dobradinha em diversas cidades.  

 

Dois federais - A desistência de Gualberto aponta para a eleição de ao menos 2 deputados federais do PSDB na Bahia: Adolfo Viana e Antônio Imbassahy (que disputa a reeleição). A previsão inicial é de que cada um deverá ter por baixo mais de 110 mil votos. A legenda já anunciou que vai disputar as eleições proporcionais à Câmara dos Deputados em Brasília sem coligar com nenhum outro partido. Adolfo é apoiado em Eunápolis pelo grupo do ex-prefeito Neto Guerrieri e o atual vice Flávio Baiôco. Ele estará na cidade nesta sexta (17) para um encontro com lidarenças políticas e comunitárias.

Leia mais ...

Polarização PT x PSDB pode se repetir em outubro e deixar Bolsonaro fora do 2º turno

  • Publicado em Brasil

Eleitor terá pela frente o velho dilema de escolher entre a esquerda e a direita para buscar saída da crise que o Brasil mergulhou.

Nas conversas sobre eleições já se fala de um eventual 2º turno entre o candidato do PT (ainda indefinido) e Geraldo Alckmin, do PSDB. O que tiraria de campo Bolsonaro (PSL), líder em todas as pesquisas para presidente sem Lula como candidato, que tem contra si um tempo de TV de apenas 12,30 segundos por conta da dificuldade de fazer alianças devido ao radicalismo das propostas.  

Petistas - Os petistas usarão a favor o apoio de Lula (preso ou não), a crise na economia com 14 milhões de desempregados, a volta da inflação, os efeitos negativos das reformas e lambanças feitas no governo Temer, batendo no Centrão e no PSDB. Caso Lula consiga sair da cadeia não poderá ser candidato, mas sua presença nos palanques e caminhadas será muito favorável ao PT.  

Tucanos - Já os tucanos vão usar o apoio e a base eleitoral do Centrão - PP, PSD, PR, PRB e Solidariedade -, o longo tempo na TV permitindo fazer uma propaganda eficiente, além do desgaste da imagem do PT carimbado pelo desastre na economia e participação direta na corrupção revelada, principalmente na Operação Lava Jato. O que ainda não se sabe é como Alckmin vai tratar o governo Temer (MDB) durante a campanha. O DEM ainda não definiu se terá candidato próprio (seria Rodrigo Maia) ou se vai apoiar Alckmin.

2º turno - A polarização PT x PSDB pode desidratar a candidatura de Bolsonaro, avaliam analistas políticos. Será um teste para o novo cenário eleitoral pós-Lava Jato e crescimento das redes sociais. Ninguém na verdade sabe de nada, mas muito se fala, afinal, política é conversa. Resta saber se conversa fiada ou papo sério.  

Leia mais ...

Acordo nacional do PSDB com o PSD pode virar saia justa para Otto Alencar na Bahia

  • Publicado em Bahia

Os tucanos ganharam uma batalha importante no jogo eleitoral com o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) selando uma aliança nacional com o PSD de Kassab para a eleição presidencial, mudando completamente o rumo da prosa. Na Bahia, essa aliança pode parecer inócua pela fidelidade do senador Otto Alencar ao governador petista Rui Costa, mas não deixa de ser uma saia justa estampada que vai ficar ainda mais apertada caso Alckmin suba nas pesquisas.

Leia mais ...
Assinar este feed RSS
  • Jornalista Responsável: Carlos Geraldo Alves MTE/BA 4162 - Fundação: Novembro de 2012
  • E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.  
  • Tel/Whatsapp: (73) 99814-6777