As pesquisas fake news e o cenário político hoje em Eunápolis

Com resultados mentirosos que têm como claro objetivo confundir o eleitorado e promover quem ainda não tem votos para chegar mais longe, começam a ser divulgadas nas redes sociais em Eunápolis pesquisas eleitorais fake news.

O remédio é um só: exija de quem divulga essas pesquisas o nome do instituto, quem é o estatístico responsável e o registro da pesquisa no TRE. Não tendo isso, delete, é fake news.

Num cenário sem candidaturas assumidas ainda, apenas com ambições afloradas e uma pré-candidatura natural, a sucessão municipal 2020 em Eunápolis virou um terreno fértil para divulgação pesquisas eleitorais falsas (fake news), com balões de ensaio que interessam a grupos políticos e pré-candidatos sem musculatura:

1 – Até agora, no cenário político eunapolitano, há apenas a pré-candidatura de Cordélia Torres, por sinal, o nome mais comentado nos 4 cantos da cidade em todas as classes sociais. Como se diz no esporte, ela é a candidata a ser batida, principalmente depois de 2 resultados significativos seguidos nas urnas em 2016 e 2018;  

2 – O prefeito Robério está inelegível, não pode disputar a reeleição. Sua filha Larissa já se mostrou fraca nas urnas no 1º teste, levando uma surra de Cordélia no ano passado, mesmo com a rival não focando a campanha na cidade. Mas o prefeito ainda está vivo politicamente, com todo o desgaste e desastre da sua administração neste 3º mandato, afinal tem a prefeitura nas mãos;

3 – O ex-prefeito Neto Guerrieri continua de camarote, como observador do cenário. Ele já declarou que não marcha mais de jeito nenhum com o grupo roberista. Sua liderança e influência em diversos setores da sociedade não podem ser desprezadas;

4 – Dentro do grupo de Robério há um subgrupo construindo silenciosamente uma sonhada candidatura paralela, tipo Plano B, usando a máquina para popularizar a pretensa candidatura;

5 – Por fim, a ambição de ser prefeito também passa pela cabeça de um certo vereador, que também é empresário, apesar dele não assumir publicamente seu desejo pessoal. O que se comenta nas ruas é que o tal vereador “tem muito dinheiro pra derramar na campanha”. Mas, por agora, ainda não tem votos para passar de um honroso 4º lugar.

6 – Salvo um acontecimento histórico, os demais que dizem ter pretensão de disputar a prefeitura em 2020 ainda não ganharam musculatura política para aparecer no cenário.

Polarização

Este é o cenário político atual de Eunápolis. Muita conversa e pouca definição. Dos falados pretendentes e eventuais concorrentes da única pré-candidatura conhecida (Cordélia), somente o prefeito seria páreo, hoje, considerando o poder da máquina. Mas como ele está inelegível, com a imagem desgastada ao máximo pelos escândalos de corrupção que foram pauta da TV nacional, além do desastre administrativo da 2ª metade do governo no 3º mandato. Por enquanto, este é o cenário. Qualquer “pesquisa” que não retrate  esse quadro, duvide.

Por Geraldinho Alves, jornalista e editor do Bahia40graus

Texto autoral, reprodução proibida sem autorização do autor.