PF também encontrou esquema de grilagem no sul da Bahia

Investigadores da Operação Faroeste coletaram provas de que o esquema de grilagem por meio de venda de sentenças se estendeu também para 3 cidades do sul da Bahia. É o que diz a coluna Satélite, do jornal Correio.

Além de grandes propriedades rurais do Oeste do estado, o falso cônsul de Guiné-Bissau Adailton Maturino, apontado pelo Ministério Público Federal (MPF) como mentor da suposta organização criminosa, usou o mesmo modus operandi para se apropriar judicialmente de fazendas e imóveis em Canavieiras, Itacaré e Itabuna.

Em conluio com servidores e autoridades do Judiciário, integrantes do grupo identificavam propriedades com problemas na escritura ou hipoteca judicial e, com documentos falsos a suposta organização criminosa transferia a posse de forma fraudulenta.