Candidatas laranjas de todos os partidos. PSOL lidera ranking

Independentemente de haver ou não desvios do fundo partidário, uma pesquisa publicada no site BBC Brasil mostra que a prática de usar candidaturas laranjas para burlar a lei de cotas é generalizada entre os partidos brasileiros. Com exceção do partido Novo, que teve apenas 2% de candidatas com menos de 317 votos na eleição de 2018, todas as 30 legendas com representação no Congresso Nacional tiveram mais de 10% de possíveis laranjas dentre suas candidatas mulheres para a Câmara. O PSOL lidera o ranking.

O PSL é o partido que apresenta maior disparidade na competitividade de homens e mulheres, o que, segundo as pesquisadoras, é um indicativo forte do uso de candidaturas de fachada para burlar a lei de cotas. Conforme a pesquisa publicada pelo BBC Brasil, no PSL, há 24 vezes mais candidaturas de mulheres que aparentam ser laranjas – que receberam menos de 317 votos – que homens laranjas.

A pesquisa também aponta que enquanto no caso das mulheres a prática de lançar candidaturas laranjas é adotada para burlar a lei de cotas, as candidaturas laranjas de homens servem a outros propósitos.