Maioria do STF deve derrubar a censura imposta por Moraes para proteger Toffoli

A imagem do STF caiu ainda mais depois da censura prévia à revista Crusoé e a desconfiança na Corte Suprema subiu.

Visto como a Corte que demora demais a punir políticos – até hoje não condenou nenhum denunciado na Lava Jato -, o STF é formado por indicados de presidentes da República entre magistrados e advogados, mais por afinidade política do que conhecimento jurídico.

A recente derrapada constitucional dupla do presidente da Corte, Dias Toffoli, ex-integrante do governo Lula, e seu fiel escudeiro no caso da censura à revista Crusoé, Alexandre Moraes, ex-ministro do governo Temer, deve ser corrigida pela 1ª turma do próprio STF, que em julgamento no ano passado, decidiu que figuras públicas precisam ser mais tolerantes em relação à imprensa.

E que, em favor daqueles que se sentem ofendidos por um trabalho jornalístico, há outras medidas de reparação – cíveis e criminais – que não a censura prévia ou a remoção de conteúdo de sites e blogs.