PF efetua prisões na Bahia: esquema na Petrobras em Salvador

Obra superfaturada da nova sede da Petrobras em Salvador desviou parte do dinheiro, segundo a Polícia Federal (PF), para pagar propina a funcionários da estatal, agentes políticos do PT e dirigentes da Petros (Fundo que administrada a previdência dos aposentados da estatal).

SALVADOR – A Polícia Federal (PF) está nas ruas em 4 estados na manhã desta sexta-feira, 23/11: Bahia, Rio, Minas Gerais e São Paulo. É a 56ª fase da Operação Lava Jato, que cumpre 68 mandados de prisão temporária e preventiva, além de busca e apreensão. A nova fase apura o superfaturamento na construção da nova sede da Petrobras em Salvador. 

[Lava Jato apura construção de sede da Petrobras na Bahia ]

GABRIELLI – A nova sede da Petrobras na Bahia foi batizada de Torre Pituba e fica na Avenida Antônio Carlos Magalhães. O empreendimento foi construído durante a gestão de José Sérgio Gabrielli. A obra foi realizada pela empresa SPE Edificações Itaigara, sociedade formada pelas construtoras OAS e Odebrecht Realizações Imobiliárias. De acordo com a PF, o esquema durou de 2009 a 2016.

Os crimes cometidos são de corrupção ativa e passiva, gestão fraudulenta de fundo de pensão, lavagem de dinheiro e organização criminosa entre outros. Ainda de acordo com a PF, a operação foi batizada de “Sem Fundos” por envolver a Petros – Fundo dos Aposentados da estatal