Prefeito de Eunápolis enxuga gelo a caminho do colapso da gestão

Obras da Saúde seguem inacabadas na cidade. UPA e Policlínica foram prometidas para o ano passado. Hospital Regional voltou a ser um inferno.

O colapso é o destino mais provável da gestão do prefeito Robério Oliveira (PSD) em Eunápolis, a médio prazo. Praticamente todos os setores estão batendo cabeça, embora o gestor se esforce para fazer de conta que está trabalhando, forçando a equipe a fazer de conta que produz, salvo duas ou três exceções. O resto é pura retórica. Pra piorar, o governo estadual, grande parceiro do prefeito, está enfrentando dificuldades de caixa, vive momento de impopularidade e a Bahia virou alvo do governo Bolsonaro que já iniciou a caça às bruxas. 

POLÍCIA FEDERAL – Hoje, a preocupação maior do prefeito de Eunápolis, a médio e longo prazos, é uma só: escapar das garras da Justiça diante de tantos processos e dos danos que podem causar as duas grandes operações da Polícia Federal em curso – Gênesis e Fraternos.

ENXUGANDO GELO – Robério vai ficar enxugando gelo, pagando honorários astronômicos a advogados e fazendo de conta que nada está acontecendo de ruim, além de bancar com migalhas setores da imprensa para pintar o governo de cor de rosa.

A continuidade do sucesso da carreira política da família Oliveira dependia do uso irresponsável da máquina pública, como se não houvesse amanhã. O prazo de validade acabou. A fila vai andar em 2020.   

Por Geraldinho Alves, jornalista e editor do Bahia40graus. 

AVISO – Esse texto é opinião do editor do site, só reproduza o conteúdo se autorizado pelo autor. Permitida a divulgação do link da postagem.