Eleição pra vereador: fim das coligações favorece quem tem mandato e mais dinheiro

O jornalista político Geraldinho Alves do Bahia40graus analisa o cenário da eleição para vereador com as novas regras.

O fim das coligações na eleição pra vereador este ano vai favorecer muito a reeleição de vereadores com mandato e de candidatos com dinheiro pra gastar (seja oficialmente ou caixa 2).

Muitos partidos vão ser montados usando pré-candidatos novatos e fora do poder apenas como ‘escadas’ pra atingir o quociente eleitoral. Muitos sem nenhuma chance real de eleição. 

Nas grandes cidades do extremo sul, como Porto Seguro, Eunápolis e Teixeira de Freitas os prefeituráveis terão dificuldades de montar seus times de vereadores por conta disso. É pura matemática, diagnóstico de cenário atual e histórico de desempenho nas últimas eleições.

A chance dos novatos

Partidos montados apenas com novatos ou políticos fora do poder têm muito mais chance de eleger candidatos estreantes ou quem está sem mandato e pretende retornar à Câmara.  

Esposas e parentes

Uma observação relevante é que vereadores com mandato que ficaram inelegíveis a partir de 2017 vão lançar parentes e cônjuges pra tentar transferir votos e manter o capital político porventura existente. 

Essas candidaturas devem ser classificadas na mesma categoria de “políticos com mandatos”, afinal, cenário e recursos favorecem.

Por geraldinho Alves, jornalista e editor do Bahia40graus.

Proibida a reprodução sem autorização do autor.