Boeing que caiu na Etiópia é mesmo modelo usado pela Gol no Brasil

É o 2º acidente com o Boeing 737 Max em 5 meses, autoridades da aviação comercial em todo o mundo estão preocupadas.

A companhia aérea Gol encomendou 135 aeronaves modelo Boeing 737 Max, iguais aos 2 que caíram nos últimos 5 meses, na Indonésia e Etiópia, deixando saldo de 346 mortos no total.

Atualmente, a Gol já tem 7 novos aviões semelhantes em operação. Os demais Boeings 737 da companhia foram fabricados nos anos 90 e 2000. A Gol tem planos de substituir toda a frota até 2028.

Neste domingo (10/3), um 737 Max operado pela Ethiopian Airlines caiu minutos após a decolagem na Etiópia, matando todas as 157 pessoas que estavam a bordo. As causas do acidente ainda não estão claras.

Em outubro do ano passado, outro 737 Max caiu no mar, 13 minutos após decolar da Indonésia, matando 189 pessoas. O avião era da Indonésia Lion Air. As investigações preliminares apontam para um erro do sistema antiestol, que foi alimentado com dados incorretos e forçou o nariz do avião para baixo mesmo após tentativas dos pilotos de retomar o controle da aeronave.

Rotas no Brasil – A Gol usa o Boeing 737 Max desde novembro passado nas rotas que ligam Brasília e Fortaleza a Miami e Orlando, na Flórida. Em dezembro, o novo Boeing passou a voar entre São Paulo e Quito, e Cancún (México) deve ganhar um voo saindo de Brasília a partir de junho deste ano.